domingo, Novembro 23, 2014

Exposição - Michel Giacometti E O Cante



"Cascais tem um grande reconhecimento a todos Alentejanos que ajudaram a construir o Nosso Concelho, que nos trouxeram com os seus valores e atitudes a possibilidade de também serem para nós inspiradores da capacidade de ultrapassar obstáculos" palavras de Carlos Carreiras, Presidente da C. M. de Cascais.

(TV Portugal - 08/11/2014)

"Parede, a terra e a sua gente"



Carlos Carreiras, Presidente da C. M. de Cascais e José Pires de Lima, falam do livro "Parede, a terra e a sua gente", da autoria deste último. A SMUP esteve repleta de gente para assistir à apresentação.

(TV Portugal - 11/10/2014)

Revisores e trabalhadores das bilheteiras da CP vão fazer greve a 24 de Novembro



Os revisores e os trabalhadores das bilheteiras da CP -- Comboios de Portugal convocaram uma greve para 24 de novembro, para contestar a proposta do Orçamento do Estado para 2015 (OE2015), nomeadamente o congelamento dos salários.

A CP ainda está a avaliar os potenciais impactos que a paralisação poderá ter na operação, adiantando que informará atempadamente os passageiros para poderem programar as suas viagens, adiantou à Lusa fonte oficial da empresa. 
A Associação Sindical das Chefias Intermédias de Exploração ferroviária (ASCEF) e o Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI) entregaram o pré-aviso de greve para 24 de novembro, véspera da votação final do OE2015. 
Entretanto, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF) apelou à união dos trabalhadores, desafiando os que não estão abrangidos pelo pré-aviso de greve para que "manifestem a solidariedade com uma luta que devia ser de todos". 
Abílio Carvalho, coordenador do SNTSF, explicou à Lusa que o sindicato não conseguiu entregar o pré-aviso de greve por não ter tido resposta "em tempo útil" dos demais sindicatos, mas defende que "os trabalhadores se devem mobilizar contra a política e gestão que estão a degradar as condições salariais e profissionais dos ferroviários". 
Segundo o dirigente sindical, "os trabalhadores estão confrontados com uma proposta de OE2015 que mantém o bloqueio da negociação coletiva, que congela e reduz os salários dos trabalhadores, que continua a roubar o direito ao transporte de ferroviários e reformados e continua a roubar o direito a diuturnidades".

Greve de segunda-feira vai afectar todos os serviços da CP



Revisores e trabalhadores das bilheteiras em protesto contra a manutenção das medidas de austeridade.

A greve dos revisores e trabalhadores das bilheteiras vai causar perturbações em todos os serviços da CP na segunda-feira, podendo os efeitos da paralisação começar no domingo à noite. 
A CP informa, num aviso aos passageiros divulgado na página da Internet, que, por motivo de greve convocada por diversas organizações sindicais, prevêem-se perturbações nos serviços Alfa Pendular, Intercidades, Regional, InterRegional e Urbanos na segunda-feira. 
A empresa antecipa ainda atrasos e supressões pontuais na noite de domingo e na manhã de terça-feira, nos serviços Regional, InterRegional e Urbanos, na sequência do pré-aviso de greve, de 24 horas, para segunda-feira para demonstrar "o descontentamento face à decisão do Governo em manter as medidas de austeridade". 
"Os trabalhadores por nós representados, depois de tantos sacrifícios que têm realizado desde 2010, não merecem ser discriminados desta forma", disse à Lusa Luís Bravo, dirigente do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI), realçando que os trabalhadores ferroviários são penalizados face aos outros trabalhadores do sector público. 
O sindicalista lamentou que o Tribunal Arbitral tenha decretado 25% da operação em serviços mínimos, considerando que a realização de um em cada quatro comboios previstos é "desproporcional". 
"A decisão do Tribunal Arbitral diminui o direito à greve dos trabalhadores", considerou Luís Bravo. 
Segundo o dirigente sindical, 90% dos revisores e 60% dos trabalhadores das bilheteiras da CP pertencem ao SFRCI, que antecipa "a adesão total dos associados".